Comunicação interna nas empresas: 3 aspectos de uma comunicação efetiva

Rafael
27/05/2021

Autor de vários best-sellers em gestão, Stephen Covey fundamentou em seus livros que pessoas que trabalham em uma atmosfera de confiança conseguem colaborar de forma produtiva, resultando que as coisas sejam feitas com maior rapidez e menor custo.

Por outro lado, sem confiança, os resultados tendem a ser mais lentos e os custos aumentam.

Confiança e comunicação andam lado a lado.

Portanto, quando alguma informação se perde dentro da organização ou não é dita de forma consistente, isso gera desentendimentos, retrabalho, problemas e descomprometimento.

É necessário compreender o quanto esse tipo de comunicação é estratégica, pois aquilo que comunicamos gera tipos de ações, atitudes, pensamentos e sentimentos nas pessoas. Por isso, a comunicação interna precisa ser pensada com muita responsabilidade.

Neste artigo, apresento três aspectos fundamentais da comunicação interna que reduzem significativamente os custos visíveis e invisíveis dentro das organizações:

  1. Defina o que comunicar

Crie um comitê interno que discuta de forma consciente O QUE a organização necessita que circule em termos de informação. Ou seja, quais assuntos queremos que sejam tratados.

Por exemplo: queremos falar sobre o que está acontecendo no mercado? Sobre estratégias que estamos planejando? Sobre os produtos que estamos desenvolvendo? Queremos que as pessoas, internamente, saibam o que foi incluído dentro dos valores da organização? Queremos fortalecer a ideia do nosso propósito?

É fundamental termos clareza sobre o que queremos comunicar para que tenhamos mais fluidez nas ações de todas as pessoas conectadas a isso.

  1. Escolha como comunicar

A escolha de COMO comunicar a informação é muito importante; não somente escolher os meios, mas o tom que vamos utilizar. Por exemplo, será uma mensagem mais formal e séria, ou mais informal e emotiva? Esses elementos determinam o tipo de emoção que queremos despertar, e isso precisa ser analisado.

  1. Defina a frequência

Com qual FREQUÊNCIA iremos trabalhar essas informações? Dependendo do que a organização precisa fortalecer internamente, podemos considerar: enviaremos um endomarketing sobre o que está acontecendo? Com qual periodicidade trabalharemos essas informações?

Imaginemos que sua organização precisa fazer com que todos vivam o propósito da empresa em seu dia a dia. Uma possível estratégia é colocá-lo com frequência em diversos materiais, como, por exemplo, na assinatura de nossos e-mails. Assim, ele se torna parte das nossas reuniões, presente em todas as apresentações de slides, entre outras possibilidades.

A minha dica é que seja pensado e cocriado qual tipo de ritual e rotina vamos utilizar e em quais momentos essas informações estarão presentes para que fique cada vez mais viva a mensagem dentro do ambiente de trabalho.

Evidentemente, existem outros aspectos que são importantes, e que trabalhamos nas nossas consultorias e cursos da Nortus. Os três aqui mencionados são básicos e essenciais, e apresentam ótimo resultado.

Sobre a autora

Mirieli Colombo é sócia-executiva da Nortus, educadora referência em interações colaborativas. Atua há mais de 21 anos em comunicação com foco em desenvolvimento individual e coletivo. Como consultora em empresas, tem ênfase na formação de líderes, na excelência da comunicação e na formação de equipes. É fonoaudióloga, especialista em voz, coaching e mentora de comunicação, comportamento e liderança, e especialista em Dinâmica dos Grupos pela SBDG.

Sobre a Nortus

A Nortus é uma instituição de desenvolvimento humano global e organizacional. Fundada em 2009 e com sede em Campinas (SP) dedica-se à cocriar as condições para a ampliação da consciência humana em projetos nos campos científico, social e de educação corporativa. Já formamos mais de 700 gestores contemporâneos em todo o Brasil, atendendo centenas de empresas e impactando o desenvolvimento de mais de 50 mil pessoas com nossa Tecnologia Comportamental Metassistêmica.

Mantemos parcerias internacionais com pesquisadores do campo da psicologia social, comportamental, organizacional, cultural e da neurociência, como os doutores Don Beck, Darrell Gooden e Steven Poelmans e com a Escola de Pensamento Matriztica que tem como co-fundadores o Dr. Humberto Maturana e Ximena D’Ávila. Seguindo com a concretização de seu propósito, não só no âmbito corporativo, a Nortus possui a célula social Neoeducar que coloca nossa tecnologia genuína à disposição dos profissionais da rede pública de ensino. Recentemente, recebemos o reconhecimento da Pesquisa Humanizadas como umas das 12 empresas do Brasil com alto nível de maturidade por meio do rating A de consciência organizacional.


Receba nossos conteúdos e fique por dentro de todas as novidades da Nortus